Zonas turísticas venderam a Bahia para o Brasil e o mundo

Os municípios puderam expor seus principais atrativos nos estandes   Foto: Rita Barreto/Bahiatursa

Os municípios puderam expor seus principais atrativos nos estandes    Foto: Rita Barreto/Bahiatursa

O 3º Salão Baiano de Turismo se consagrou como oportunidade única de negócio. Os municípios das 13 zonas turística da Bahia estiveram presentes e puderam, além de vender seus destinos, interagir – uma verdadeira troca de cultura, experiência e interesses. A Bahia sendo vendida nacionalmente e para o mundo.

Com estandes exibindo informações e mostras de cada zona, os municípios puderam expor seus principais atrativos. Genildo Souza, diretor de Turismo de Valença, na Costa do Dendê, disse que “o Salão está sendo uma vitrine para o estudante, o empresário, para o trade turístico poder trocar as informações, conhecer produtos turísticos de outras regiões”. O principal atrativo é sol e praia, mas também o turismo de aventura, ecológico, e tradição religiosa. Um dos locais mais visitados é Morro de São Paulo, que recebe em media anualmente 300 mil visitantes.

Já o destino Lagos e Cânions de São Francisco contempla uma variedade de atrativos, desde o turismo de negocio ao religioso. “Paulo Afonso é a porta de entrada, uma cidade altamente estruturada”, comenta o secretário de Turismo de Paulo Afonso, Luiz Carlos de Carvalho. “Temos o maior cânion navegável do mundo e temos a natureza que nos beneficiou de uma forma fantástica, que permite desde os passeios de caiaque, único em cânion no mundo, ao rapel. Hoje na Bahia o turismo representa 5,3 milhões de pessoas circulando internamente. De acordo com o registro oficial, dentro de aproximadamente 100 mil pessoas por ano visitam Paulo Afonso”, sublinha Luiz.

O diretor de Turismo de Maragogipe, Fabio Pereira, um dos representantes da zona turística Baía de Todos-os-Santos, destacou o turismo religioso, entre as atrações do município. “A festa do padroeiro São Bartolomeu tem um atrativo turístico muito grande. Durante a lavagem, a região recebe em torno de mil ônibus, a acidade dobra sua população”.

Quanto a fluxo turístico nas Costas das Baleias, o município de Prado possui o maior número de leitos da região, em torno de seis mil, e Alcobaça tem aproximadamente dois mil leitos. Recebe muitos visitantes não só no período das baleias, mas também no verão, com a média de 80 mil pessoas na temporada.

Já na Costa do Cacau, os locais mais visitados são Ilhéus, Itacaré, Canavieiras e Serra Grande. Em Canavieiras, por exemplo, chega a receber até 10 mil visitantes por dia. Como no Festival Nacional do Caranguejo. Ana Souza, diretora de Turismo de Canavieiras, comenta a importância da participação como um meio de “divulgar e integrar os municípios. Manter relação com as agências de turismo, fazer pacotes e mostrar a riqueza da região”.

A Chapada Diamantina tem como seu indutor turístico o município de Lençóis, a porta de entrada para a região. Com opção para todos os gostos, desde aventura, com as cacheiras, cavernas, grutas e pinturas rupestres.

A  turismóloga da Secretaria de Turismo de Camaçari, Tania Carvalho, destaca, entre os principais indutores de visitantes, na Costa dos Coqueiros, Guarajuba, Arembepe e Itacimirim que “inclusive, no período da Copa, em junho, já estão com os hotéis todos com reservas”.

Tradição é o carro chefe no destino Caminhos de Jiquiriçá, com destaque no seu São João, que atrai a cada ano muitas pessoas. O Caminhos do Oeste é um paraíso para quem busca sossegou. Quem esteve presente no estande do destino conheceu as atrações variadas. A aventura também está presente nas cidades de Bom Jesus da Lapa, Vale do Rio Corrente e Barreiras.

A Costa do Descobrimento é cercada por diversos atrativos naturais, com destaque para as praias paradisíacas que encantam a todos. Já Caminhos do Sertão mostrou que a hospitalidade e a cultura encantam. Essas são as maiores qualidades que atraem os visitantes que buscam as belezas naturais do sertão.

Caminhos do Sudoeste, com turismo rural, cultural, ecológico e religioso, vem cativando cada vez mais visitantes em busca de uma natureza simples, com trilhas, cachoeiras e paisagens espetaculares. Já o Vale do São Francisco, com um belo cenário do Velho Chico, se insere em um contexto histórico e cultural forte, com presença de monumentos da arquitetura do século passado.

Deixe seu comentário

Redes Sociais

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-010 (ver mapa) | Tel: +55 71 3116-6814/6863