Mostra gastronômica e samba movimentam o domingo na Feira de São Joaquim

Samba, comida saborosa e de boa qualidade além dos personagens que mais representam a cidade de Salvador foram os ingredientes da 10ª Mostra Gastronômica Sabor da Feira de São Joaquim, que aconteceu durante toda a tarde deste domingo (9), em Água de Meninos. Realizada pelo Sindicato dos Feirantes e Ambulantes (Sindifeira) e Associação dos Feirantes de São Joaquim, com apoio da Secretaria de Turismo da Bahia e Bahiatursa, o evento reuniu feirantes, amigos e convidados em torno de uma feijoada preparada com 100 kg de feijão, além de 12 receitas selecionadas entre os cerca de 50 restaurantes do lugar, postas para degustação.

Moqueca de camarão, peixe de escabeche, dobradinha, rabada, mocotó, carneiro, miraguaia com pirão, escaldado de peru e churrasco foram alguns dos pratos apresentados durante a mostra gastronômica que teve até uma receita de “strogronoff à Bombaim”, de sabor picante, com molho curry (molho indiano), cravo, canela e mais de 15 temperos que o criador do prato, Chico Sampaio, garimpou nas bancas de temperos da própria feira. Além disso, os grupos Sou do Samba, Trivial e Reduto do Samba deram o clima festivo, com muita música.

“A Feira de São Joaquim é a síntese de Salvador, uma dose concentrada da cidade. Aqui se encontra a cidade toda em um só lugar”, resumiu o secretário do Turismo, Domingos Leonelli, um dos primeiros a chegar ao evento, acompanhado da família. Para o secretário, “além de bonita e barata, ela é também muito gostosa”. A mostra gastronômica, de acordo com Leonelli, apresenta aos turistas “o que a maioria dos baianos já sabe: o melhor lugar para almoçar está em São Joaquim”.

De acordo com Marilena Souza Andrade, a Dadá de São Joaquim, cujo restaurante fica na Rua das Flores, uma pessoa almoça bem na feira gastando de R$ 8 a R$ 20. O prato que apresentou durante a mostra foi a rabada com agrião e pirão, feito com “muito tempero e amor”. Para ela, o evento é importante para que os turistas conheçam e visitem tanto quanto vão o Mercado Modelo e ao Pelourinho.

O ambiente festivo foi arrumado na área externa do Galpão de Água de Meninos, onde cerca de 500 feirantes estão instalados enquanto prossegue a obra de requalificação que está sendo executada em etapas. Na área onde foram arrumados os pratos para a degustação, a decoração remetia à decoração antiga de casas das famílias populares baianas, cujas salas de visita, em dia de festa, eram forradas com areia branca e fina e cobertas com folhas de pitanga. Os mais antigos puderam recordar o costume da primeira metade do século XX.

Entre uma degustação e outra, os convidados apreciavam o show dos que foram também para sambar, como dona Alaíde da Conceição Santos, 60 anos, acompanhada do filho, Jonas, de 21. Com muita disposição ela mostrou no pé o autêntico samba miúdo de Salvador.

Para a senadora Lídice da Matta, a mostra gastronômica é um evento fantástico que apresenta todas as comidas típicas da vida normal do baiano e pratos que são encontrados no dia a dia do lugar. De acordo com o presidente do Sindifeira, Marcílio Costa, São Joaquim beneficia cerca de cinco mil trabalhadores, entre feirantes e ambulantes. Ela funciona diariamente, mesmo com a obra de requalificação em andamento.

Estavam presentes ao evento, o deputado federal Luiz Alberto e o diretor de gestão comercial da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), Antonio Carlos Tramm, além de representantes da Conder.

Deixe seu comentário

Última do Twitter

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-000 (ver mapa) | Tel: 55 71 3116-6814/6863