Ilhéus é opção para quem quer relaxar durante o Carnaval

2011_07_08_vesúvio_Ilhéus_foto_João_Ramo s_Bahiatursa081

Para quem deseja fugir do agito da folia de momo e desfrutar de muita tranquilidade, uma das opções fica a apenas 462 km da capital baiana, ao sul da Bahia. Conhecida nacional e internacionalmente, a terra do escritor Jorge Amado, Ilhéus, este ano ficará fora dos festejos carnavalescos, entrando para o hall dos destinos mais procurados nesta época do ano.

De acordo com o secretário de turismo de Ilhéus, Alcides Kruschewsky, apesar do cancelamento da festa por questões financeiras, a tendência é que a rede hoteleira local registre durante os quatro dias de Carnaval, a taxa de ocupação alcance os 100%. “Com certeza, teremos em Ilhéus, mais uma vez, a exemplo de outros anos, uma grande massa de turistas, ávida por descansar e desfrutar de nossas belas praias”, afirma Kruschewsky.

O município, rico em recursos naturais, marcado por um vasto patrimônio cultural, composto por igrejas, museus e belíssimos casarões, atualmente conta com 9 mil leitos e 135 meios de hospedagem.

Litoral – Com mais de 80 quilômetros de extensão, o litoral de Ilhéus é um dos principais destaques da cidade. A região norte, marcada por alguns vilarejos de pescadores e por trechos ainda pouco explorados, inclui as praias de Mamoam, Luzimares, São Miguel, São Domingos e Ponta da Tulha. Por sua vez, a área central apresenta as praias da Concha e do Cristo, localizadas nas proximidades do Morro de Pernambuco e da Baía do Pontal.

 

 

Já a zona sul da cidade reserva para nativos e visitantes as famosas praias dos Milionários e do Cururupe, entre diversas outras. Além de uma ótima estrutura, com inúmeras cabanas, o lugar é marcado por deslumbrantes coqueirais e por uma belíssima faixa de areia fina, cenário ideal para um delicioso banho de mar. Em Olivença, ainda no sul da cidade, os destaques ficam por conta das praias de Batuba, palco de grandes eventos, e Back Door, paraíso de surfistas locais e de várias partes do Brasil. Um capítulo à parte é o Balneário de Olivença, conjunto de piscinas e cachoeiras artificiais que oferece banhos de águas ferruginosas e ricas em iodo, magnésio e bicarbonato.

 

Ecologia – Para quem gosta de aventuras, o município oferece um verdadeiro santuário ecológico tropical, abrigando uma das maiores florestas urbanas do Brasil, com mata primária e riquíssima biodiversidade: o Parque Municipal da Boa Esperança. Também compõem esse acervo exuberante fazendas de cacau, vastas áreas de manguezal, lagoas, restingas, rios, ilhas fluviais e marítimas, vegetação exuberante e uma imensa diversidade de fauna e flora.

 

Um dos atrativos do turismo ecológico é a Lagoa Encantada, um imenso e encantador espelho d’água, que continua fascinando ilheenses e visitantes. Ao todo, são 14 quilômetros quadrados de espelho d’água, cercados por Mata Atlântica, ilhas flutuantes, fazendas de cacau, vila de pescadores e uma significativa diversidade animal. Envolvida por uma Área de Preservação Ambiental (APA) e marcada por inúmeras lendas e ‘estórias’, a Lagoa Encantada oferece passeios de barcos que levam a lugares inacreditáveis, como um suntuoso conjunto de quedas d’água. Além disso, adeptos do rapel encontram no cânion da Cachoeira do Apepique, também localizada nos arredores, as condições perfeitas para a prática desse tipo de esporte radical.

 

Magia – Outro ponto alto de Ilhéus é a atmosfera mágica encontrada em cada esquina da cidade, eternizada pela obra de Jorge Amado e disseminada por filmes, novelas e peças de teatro. Além das famosas fazendas de cacau, que já foram cenários de diversas produções, o turista que vem ao município tem a oportunidade de entrar em contato com o universo amadiano. O Quarteirão Jorge Amado inclui o Bataclan, antiga casa noturna que representou o apogeu da cultura cacaueira na década de 20, e o Bar Vesúvio, cujos proprietários inspiraram o escritor baiano a criar as personagens ‘Gabriela’ e ‘Nacib’.

 

Ainda no bojo do roteiro Jorge Amado, o visitante tem a chance de conhecer a Casa de Cultura que leva o nome do literato, construída na década de 20 por seu pai, João Amado de Farias. O imóvel, que abriga um interessante acervo do escritor, possui uma linda pintura artística no teto, azulejos portugueses e um piso ricamente trabalhado em madeiras nobres da região. Outro destaque do Quarteirão é a Casa de Tonico Pessoa, proprietário de cartório e filho do Coronel Antônio Pessoa, que inspirou a criação do personagem Tonico Bastos.

 

História e Arquitetura – Com quase 500 anos de existência, Ilhéus possui um riquíssimo conjunto de prédios públicos que contam um pouco da história do município. Construído em 1905 sobre as ruínas do Colégio Jesuíta para receber a Intendência, o Palácio Paranaguá, que hoje abriga a sede do Poder Executivo Municipal, foi inaugurado em dezembro de 1907. Já o Palacete Misael Tavares, cujo prédio pertence atualmente à Loja Maçônica Regeneração Sul Baiana, foi inaugurado em 1922 com uma grande festa, que incluiu cardápio francês.

 

Nesse diapasão, também se encontram a Casa dos Artistas, antiga residência do coronel Domingos Adami de Sá e que hoje funciona como um espaço para exposições de artesãos, escultores e artistas plásticos da região, e o Ilhéus Hotel, construído em 1930 para hospedar viajantes e comerciantes que desembarcavam no Porto. Um quinto ícone histórico-arquitetônico do município é o Teatro Municipal, considerado até hoje como um dos mais importantes e tradicionais do interior do Nordeste. Inaugurado em 1932, o então cine-teatro foi palco de grandes e renomadas companhias artísticas. Depois de um grande período de abandono, foi totalmente recuperado em 1986, e a atual gestão já está estudando um novo projeto de revitalização.

 

Ícones da fé – Ao longo de sua história e estimulada pela fé de seu povo, Ilhéus construiu alguns dos mais belos ícones religiosos do Brasil. No distrito de Rio do Engenho, o turista tem a oportunidade de conhecer a capela de Senhora Santana, erguida no século XVII. A igreja, considerada a terceira capela rural mais antiga do país, é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O imóvel pertenceu à família de Mem de Sá.

 

Além da capela de Senhora Santana, o município ainda possui a Catedral de São Sebastião, construída em estilo neoclássico, com colunas gregas, abóbada romana e vitrais artísticos que reproduzem cenas bíblicas, o Convento de Nossa Senhora da Piedade, em estilo neogótico, e a Igreja Matriz de São Jorge dos Ilhéus, erguida na segunda década do século XVIII em estilo barroco-colonial.

 

História – Ilhéus foi fundada em 1534 e elevada à categoria de cidade em 1881. Também conhecido como ‘Capital do Cacau’, o município tem uma economia baseada no turismo, indústria e agricultura. Já foi o primeiro produtor de cacau do mundo, mas depois da enfermidade conhecida como vassoura-de-bruxa, que infestou as plantações, reduziu consideravelmente a sua produção.

 

Além de abrigar um importante polo de informática e eletroeletrônicos, é também um centro regional de serviços. Atualmente, o município sedia uma universidade estadual, um porto internacional e o aeroporto Jorge Amado, entrada para destinos muito procurados, como a própria Ilhéus, Itacaré, Canavieiras e Barra Grande. Tudo isso aliado a um conjunto de estradas estaduais e federais que interligam a cidade com praticamente todo o Brasil.

Deixe seu comentário

Redes Sociais

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-010 (ver mapa) | Tel: +55 71 3116-6814/6863