Festejos de Cosme e Damião mobilizam devotos e comércio popular

Comerciante finaliza imagem para os festejos de Cosme e Damião    Foto: Jessica Farias/Bahiatursa

Comerciante finaliza imagem para os festejos de Cosme e Damião Foto: Jessica Farias/Bahiatursa

Comemorado neste sábado (27/09), o dia de Cosme e Damião é também conhecido por agregar fé e tradição. Os devotos dos santos gêmeos costumam pagar promessas e geralmente oferecem carurus como forma de agradecimento pelos pedidos atendidos. Muito além da culinária típica local, o caruru é visto também como um símbolo de crença da cultura afro-brasileira, o que chama a atenção para a riqueza da nossa cultura.

Neste período, é comum o aumento da procura pelos ingredientes do prato típico e pelas imagens dos santos, sobretudo nas feiras populares. “O mês todo vende muito por causa do caruru”, comenta o vendedor de quiabos da Feira de São Joaquim, Francisco Carlos. Já a comerciante Leda Nascimento acredita que o movimento aumente a partir desta sexta-feira. “Muitas pessoas fazem o caruru no sábado, então compram mais na véspera”, disse.

Símbolos de devoção, os santinhos de Cosme e Damião também costumam ter boa saída no comércio popular. A vendedora Marilza Santos explica que, além das tradicionais imagens, outros objetos fazem parte do ritual de crença dos devotos. “As pessoas procuram bastante as quartinhas de barro e os pratos para colocar as oferendas”, conta. Ela ainda comenta que quem não pode dar um caruru, muitas vezes recorre a outras formas de oferenda para agradar aos santos, como fazer uma mesa de bolo e jogar balinhas para as crianças nas ruas.

Devota de Cosme e Damião, Sônia Maria sempre costuma dar caruru no dia 27 de setembro aos meninos nas ruas como forma de agradecimento. “Tudo que eu queria era ter a minha própria casa e eu consegui”, revela a enfermeira aposentada. Já para a estudante Bianca Reis, gêmea como os santos, o hábito de dar caruru em homenagem a eles é uma tradição de família. “Todo ano a gente faz lá em casa. Esse costume começou com minha mãe e eu dei continuidade”, comenta.

Tradição – Celebrados por católicos e adeptos do candomblé, Cosme e Damião são considerados protetores dos farmacêuticos, dos médicos, dos gêmeos e das crianças. Para os católicos, os santos eram dois irmãos gêmeos médicos que curavam pessoas e animais sem cobrar dinheiro. No Candomblé, Cosme e Damião são conhecidos como orixás ibejis. Os devotos têm o costume de oferecer caruru, que é oferecido primeiramente aos santos e a sete meninos, representando os sete irmãos (Cosme, Damião, Dou, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi).

Deixe seu comentário

Redes Sociais

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-010 (ver mapa) | Tel: +55 71 3116-6814/6863