Empresários participam de Oficina de Planejamento Estratégico do Turismo de Aventura

Leonelli: "Experiência ecológica tem dimensão muito importante Foto: Rita Barreto/ Bahiatursa

Leonelli: “Experiência ecológica tem dimensão muito importante Foto: Rita Barreto/ Bahiatursa

Empresários do segmento turismo de aventura e representantes de prefeituras municipais participam da Oficina de Planejamento Estratégico do Turismo de Aventura da Bahia, organizado pela Secretaria do Turismo e Bahiatursa para promover a criação de padrões de segurança e de qualidade para o ecoturismo e o turismo de aventura na Bahia.

Desdobramento do primeiro Encontro de Empresários e Gestores das Zonas Turísticas da Bahia no Segmento Turismo de Aventura, a reunião acontece até esta terça-feira (3.12), no Centro de Convenções da Bahia.

Trata-se de um esforço conjunto do Estado com o apoio das prefeituras municipais, no sentido de qualificar as empresas para proporcionar mais segurança no quesito turismo de aventura. A meta é certificar pelo menos 13 empresas em 2014.

AVANÇO - O secretário do Turismo, Domingos Leonelli, contextualizou a importância da iniciativa de garantia de segurança nos segmentos falando do significado do desenvolvimento de um mercado.

“É um grande avanço civilizatório transformar o prazer de conhecer um lugar em uma atividade econômica. A experiência ecológica e a consciência da natureza têm uma dimensão psicológica e cultural muito importante para o indivíduo”, disse.

Leonelli lembrou que na Bahia houve um salto de 12 para 96 empreendimentos rurais nos últimos sete anos, o que reforça a importância dos esforços para promover a interiorização do turismo, e comentou sobre os três novos voos para Paulo Afonso, que a Azul começa a operar no dia 16.

“A Bahia tem um mercado regional próprio que é muito importante. São cinco milhões de baianos viajando pela Bahia, o que  é fundamental para fortalecer o turismo local, ajuda a manter os hotéis, pousadas, restaurantes e toda a cadeia econômica das regiões  turísticas”, afirmou.

 EXIGENTES – O diretor de Serviços Turísticos da Bahiatursa, Weslen Moreira, explicou que neste momento o foco não são as prefeituras municipais, mas as empresas particulares. As prefeituras estão com a responsabilidade de sensibilizar essas empresas que vendem o produto turismo de aventura, segundo ele, “um segmento com bom valor agregado, formado por turistas que gastam, mas são exigentes quanto ao quesito segurança”.

Sócios diretores da empresa Daventura, Tiago Valois e Carol Chagas ministram a oficina e logo de início consideraram a importância de se fazer imediatamente um planejamento participativo, com uma metodologia densa para sair da oficina com um documento norteador, com a ideia do que se pretende enquanto segmento.

“O mais importante é a qualificação, mas também o planejamento e a certificação, pois permitem um desenvolvimento de forma consciente e segura para todos que desejam praticar o turismo de aventura, proporcionando um crescimento maior no segmento”, afirmou Carol.

Para Vanessa Almeida, da Nas Alturas, o governo está fazendo uma parte importante, a questão de apoio financeiro para este projeto. Ela ressalta, porém, a falta de mais empresários interessados, “porque o projeto está aí e a iniciativa privada tem deixado a desejar neste ponto. Quem está aqui hoje se mostrou comprometido”, disse acrescentando que, na oficina, tem vários destinos contemplados, tanto do interior quanto do litoral e “se as pessoas realmente se comprometerem elas vão colher bons frutos”.

 

 

Deixe seu comentário

Redes Sociais

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-010 (ver mapa) | Tel: +55 71 3116-6814/6863