Bahia inova com produto turístico focado no público LGBT

Uma iniciativa ousada da Bahia tem tudo para revolucionar o turismo LGBT. Em uma ação jamais vista no Brasil, a terra do dendê está apostando na consolidação de um produto turístico voltado especificamente para este público, que é formado em sua maioria por solteiros, sem filhos, que gostam de viajar e gastam até quatro vezes mais do que o turista convencional.

Uma das políticas do governo baiano para conquistar este mercado promissor é o apoio à Semana da Diversidade e Parada Gay de Salvador, eventos promovidos pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) que acontecem esta semana. Na avaliação do secretário do Turismo do estado, Domingos Leonelli, ao apoiar a Semana da Diversidade e a Parada Gay de Salvador, a Setur e a Bahiatursa esperam que, em médio prazo, o evento se torne referência no calendário turístico da capital baiana.

Para formatar este produto turístico, a Secretaria do Turismo do Estado  (Setur) e a Bahiatursa buscaram respaldo para o potencial deste segmento em uma pesquisa aplicada durante a Parada Gay de São Paulo, em junho deste ano. Entre os resultados, a Bahia foi considerada pela maioria dos entrevistados como um destino Gay Friendly, o que contribui para a captação dos turistas LGBT.

 “Para a formatação deste produto, a Setur e a Bahiatursa investiram em qualificação profissional, pesquisas para a realização do evento e também na promoção focada no produto”, explica Leonelli.

“A comunidade LGBT é um público que, além de consumir até quatro vezes mais que um turista convencional de lazer, independe da alta estação, não tem que esperar pelas férias escolares para viajar, pois a maioria não tem filhos”, ressalta o secretário “A realização destes eventos vai significar um importante reforço à economia da cidade de Salvador durante o período dos eventos”, pontua.

Os resultados da pesquisa de demanda LGBT apontam que, dos 1.037 entrevistados que participaram da Parada Gay de São Paulo, em junho deste ano, 91,6% consideram a Bahia um destino Gay Friendly  e 96,2% manifestaram interesse em conhecer a parada gay de Salvador. Entre os entrevistados, apenas.

A pesquisa também ajudou a Setur a elaborar um perfil do turista LGBT. Das pessoas abordadas durante a Parada Gay de São Paulo, 58% são homens, 40,5% têm entre 25 e 31 anos, sendo 95,6% brasileiros e 58% paulistanos.

Quanto às expectativas dos entrevistados, 63,2% disseram que diversão noturna na cidade também não pode faltar em eventos LGBT, e  58% acham que a segurança é o item principal para o sucesso de uma parada gay. “Por isso, estamos realizando uma intensa articulação entre diversas secretarias de governo, como Cultura, Promoção da Igualdade, Segurança Pública, Turismo, pois queremos garantir o sucesso desta ação”, destaca Weslen Moreira.

Programação

            Doze atrações musicais, que serão divididas entre palcos, trios elétricos e praças do centro de Salvador, se apresentam durante a 12ª Parada Gay da Bahia, em 8 de setembro, encerrando a II Semana da Diversidade, que será aberta oficialmente no dia 2. Participam os artistas J. Velloso, Cabeça de Nós Todos, Samba Maria, Marcela Bellas, Cláudia Costa, Cortejo Afro, Aloísio Menezes, Bailinho de Quinta, Carla Cristina, Gabriel Póvoas, Afro Jhow e Sine Calmon.

Festival de cinema, feira de artesanato e artes em geral, apresentações de transformistas e seminários de conscientização e combate à homofobia, abordando temas como estado laico, mercado de trabalho e direitos civis – tendo como convidados a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, o ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e o deputado federal Jean Wyllys – também estão programados para acontecer durante toda a semana para a qual é convidada a população em geral, independente de classe social, etnia ou orientação sexual.

Parceria

            Para Marcelo Cerqueira, presidente do GGB, a participação da Bahiatursa na organização dos eventos é extremamente oportuna. “O mais importante é a forma orgânica como a Empresa de Turismo da Bahia tem se empenhado no entendimento de que esse é um público que merece atenção, cuidado – que tem poder econômico e que ainda não tem serviços e produtos voltados para ele”, afirma Marcelo.

O presidente do GGB faz referência aos dados apresentados pela  Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e  Simpatizantes (Abrat-GLS), segundo os quais o universo LGBT representa 6Publicar e distribuir:

% dos consumidores brasileiros, e o perfil do público formado por lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros tem um gasto médio quatro vezes maior que o turista convencional de lazer. “Isso mostra quão importante é investir nesse público”, completa.

Milhões

             O tema da II Semana da Diversidade e da 12ª Parada Gay da Bahia (“Somos milhões: estamos em todos os lugares”), foi escolhido, segundo Marcelo Cerqueira, “para dizer que lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros são pessoas normais que vivem do cotidiano, trabalham, pagam impostos e ocupam todas as profissões; que são brancos, que são pretos, somos todos iguais, e que a sociedade tem que aprender a conviver com essa população”.

            “A Bahia, especialmente Salvador, é um destino conhecido nacionalmente e que tem uma mística de religião e cultura que encanta muitos LGBT do mundo inteiro”, disse. Segundo o presidente do GGB, o evento este ano será ainda mais diversificado, invocando especialmente a parada com a cara da Bahia. “A gente não vai abrir mão da música eletrônica, mas tem outros ritmos que qualificam ainda mais o evento, tornando ainda mais aprazível para a população”.

Deixe seu comentário

Última do Twitter

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-000 (ver mapa) | Tel: 55 71 3116-6814/6863