Ativista do movimento dos direitos civis nos EUA participa de palestra sobre Turismo Étnico-afro

O evento contou com carta de agradecimento para os que
contribuem para o desenvolvimento deste segmento do turismo no Estado

O evento aconteceu no Serviço de Atendimento ao Turista, no Pelourinho Foto: Elói Corrêa/ GOVBA

Evento aconteceu no SAT do Pelourinho Fotos: Bahiatursa/ Divulgação e Elói Corrêa/ GOVBA

A manhã desta quinta-feira, dia 19, foi marcada por uma importante conquista do Turismo Étnico-afro da Bahia. A Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) realizou uma palestra sobre o segmento e contou com a presença de várias autoridades no assunto, incluindo o líder ativista do Movimento dos Direitos Civis nos EUA e presidente da African Ascension e da fundação Joe Beasley, Joe Beasley.

O evento, que aconteceu no Serviço de Atendimento ao Turista, no Pelourinho, teve a condução do coordenador técnico da diretoria de Promoções, o criador do Turismo Étnico no estado, Billy Arquimimo. “O sucesso deste evento é uma vitória também da população negra da Bahia. Temos muita coisa para falar e apresentar para turistas do mundo todo. São heranças e referencias que não devem ser esquecidas. Pelo contrário, devem ser exaltadas”, disse o superintendente Diogo Medrado.

Por decisão de Medrado, a palestra, que faz parte das comemorações ao “Mês da Consciência Negra”, entra no calendário de eventos da superintendência. Ano que vem, o evento se torna um seminário que foi batizado de “Zumbi dos Palmares e Joe Beasley”. O norte-americano foi convidado a voltar em 2016 para participar da abertura da ação que contará com seu nome.

Joe Beasley, embora não seja uma personalidade ligada diretamente ao turismo, é um apaixonado pela cultura brasileira e baiana e tem sido importante para reunir empresários afro-americanos para visitar o estado. Nascido na Geórgia, em 1936, é uma das lendas vivas do movimento dos direitos civis nos EUA.

O americano criou um projeto para construir uma rede de relacionamentos entre descendentes africanos ao redor do mundo, no sentido de fomentar iniciativas. Ele já exerceu várias funções ao longo de sua vida, inclusive servindo a aeronáutica durante 21 anos em missões em muitos países. No Brasil, ele foi um “instrumento” importante na formação da Universidade Zumbi dos Palmares, em São Paulo.

Billy Arquimimo falou sobre como criar, desenvolver, ter referências, promover e desenvolver um roteiro para promoção e atração deste segmento turístico, impressionando os presentes com sua fala. Uma carta foi redigida pelo diretor de Serviços Turísticos da Bahiatursa, Celsinho Cotrim em articulação com Diogo Medrado e foi aprovada por unanimidade pelos 20 participantes.

Carta – O texto conta com agradecimentos ao trabalho de Billy frente ao turismo étnico-afro no Estado, ao vocalista Shido, do Malê (que cantou uma música no evento), ao trabalho de Tâmara Azevedo à frente do Escritório Internacional da Capoeira, a Irmandade da Boa Morte, que também foi reconhecida como a mãe do segmento turístico na Bahia.

A carta conta também com uma homenagem a Mário Nelson, economista e militante da causa sócio-racial afroempreendedora. O Olodum recebeu menção de gratidão por ter levado a Bahia para o mundo e, desta forma, chamado a atenção para o turismo étnico-afro do estado.

O turismo étnico-afro, na Bahia, foi criado em 2007, sob a coordenação de Cotrim quando era Superintendente de Serviços Turísticos da Setur. Na época, foi necessário realizar uma intensa pesquisa, envolvendo intelectuais, grupos e organizações culturais em várias audiências públicas.

Atualmente o estado conta com folheteria, roteiros e levantamento dos principais eventos relacionado com o tema. No evento participaram também o diretor de Serviços Turísticos da Bahiatursa, Celsinho Cotrim, e o coordenador de Relações Nacionais, Renato Senna.

Deixe seu comentário

Redes Sociais

Palácio Rio Branco - Praça Thomé de Souza, S/N, Centro. CEP: 40.020-010 (ver mapa) | Tel: +55 71 3116-6814/6863